Modo noturno:

10 jogos para quem adora Mitologia Nórdica

22 de junho de 2018

Atualmente há uma quantia colossal de jogos com a influência nos Vikings, no panteão nórdico e no paganismo tradicional espalhados por todos os modos e gêneros. Com o recente lançamento de God of War, a mitologia nórdica está novamente em destaque, trazendo à mente alguns jogos maravilhosos para se jogar caso você esteja interessado nessa estética e nesse folclore. Se você ainda não estiver cansado de cortar Draugr e usar feitiços de congelamento duplo, continue lendo.

Magicka e Magicka 2

Criada pelos desenvolvedores suecos Arrowhead Game Studios, Magicka e sua sequência Magicka 2 concentram-se mais nos aspectos misteriosos da mitologia nórdica. No entanto, embora possa ser leve em alguns dos temas mais populares associados à mitologia nórdica, ele pega pesado nos feitiços elementais, botando a cultura do paganismo e magia no centro das atenções.

Through the Woods

Through the Woods tem a capacidade de explorar a imaginação do folclore nórdico. O jogo leva o jogador através de várias aldeias abandonadas em uma remota floresta norueguesa, como protagonista Karen rastreia seu filho Espen sequestrado. Enquanto ela procura por ele, encontra feras míticas, longhouses vazias e pedras sinistras com inscrições rúnicas que sugerem um mistério antigo e perturbador ligado ao destino de seu filho.

The Banner Saga e The Banner Saga 2

A arte de The Banner Saga, inspirada no estilo visual e nas técnicas usadas no clássico da Disney: A Bela Adormecida – 1959, , é nada menos que encantadora. Esta série de RPG tático, como os outros jogos desta lista, baseia-se na mitologia nórdica, mas inclina-se mais para uma apreciação da “cultura viking”, com toques de influência das várias raças representadas no seu folclore. É interessante, e vivamente bonito, assumir a mecânica da batalha.

Munin

Se tem uma coisa que Munin compreende melhor e que outros games (cof! cof! God of War) não, é que Loki é um filhodamãe e ele consegue arruinar qualquer coisa. Em Munin, o personagem principal deve andar por plataformas cheias de puzzles e atravessar os nove reinos da vida após a morte, a fim de recuperar suas asas, que foram roubadas por Loki. A arte toca em alguns ambientes noruegueses clássicos como minas de fogo, montanhas congeladas e labirintos anões de ouro, com pequenos floreios, como a tipografia inspirada nas runas, para amarrá-los todos juntos. Bônus: se você não conhece todas as histórias antigas ou quer reforçar o que já conhece, há trechos dos mitos nórdicos nas telas de carregamento do jogo.

Jotun

Este título segue a história de uma mulher viking, Thora, que procura impressionar os deuses e conquistar Valhalla após uma morte inominável e inglória. Através de seu sistema God Power, o jogo faz referência a muitos dos nomes familiares e rostos da mitologia nórdica, de Freyja a Thor, e até mesmo a alguns dos aspectos menos conhecidos dos antigos mitos, como as maçãs de Idunn e o Poço de Mimir. O centro do jogo é chamado Ginnungagap, “The Void”, após a expansão primordial de onde toda a vida emerge no mito da criação da pré-história nórdica. É uma peça curta, mas que promete um verdadeiro passeio pela mitologia nórdica.

The Elder Scrolls V: Skyrim

Como Skyrim está disponível em praticamente todos os consoles conhecidos pelo homem, é provável que você já tenha jogado. Dito isto, muitos dos detalhes dele foram inspirados na mitologia nórdica, com os nomes e alguns pontos da história ligeiramente alterados para se adequarem ao universo fictício do Elder Scrolls. É especialmente competente para copiar a estética, por isso, se você gosta de ficar à espreita em ruínas iluminadas por velas decoradas com nós intrincados, detalhes em ouro e os ossos de guerreiros antigos, este é um jogo para você.

Hellblade: Senua’s Sacrifice

Centrado em uma guerreira celta cujo parceiro nórdico passou para a vida após a morte, Hellblade: Senua’s Sacrifice mistura elementos da cultura germânica. O jogo vale a pena ser jogado por tantas outras razões além da história em que se inspira, mas, mesmo assim, se você for bem versado na mitologia nórdica, vai apreciar o quão bem os desenvolvedores do jogo, Ninja Theory, entendem a nuance, metáfora e drama de seu panteão e quão profundamente eles fizeram sua pesquisa.

God of War

Ele pode ter alguns detalhes errados e retraçar o maior enredo de toda a mitologia nórdica, mas God of War ainda é notável, pois enquadra os conceitos mais abstratos do folclore de uma maneira contemporânea e de fácil compreensão. Com o conceito dos nove reinos da vida após a morte que coexistem ao redor do mundo da árvore Yggdrasil. Enquanto muitas peças de entretenimento parecem usar temas nórdicos apenas em um nível superficial, God of War ensina os velhos mitos diretamente através da tradição oral à medida que o jogo progride, ajudando a preservar as histórias conforme as reconta. O jogo também injeta uma nova onda de teatralidade divina, estilo telenovela no panteão, que estava muito atrasada. Afinal de contas, o que é a mitologia nórdica (ou grega, aliás) sem as ligações narcísicas de seus membros todo-poderosos? O jogo parece ser uma trilogia propriamente dita, e apesar de eu me ressentir profundamente da sua finalização e do impacto que isso tem no cânone da mitologia nórdica, mal posso esperar para ver onde eles estão nos levando em seguida.

Top