Dicas de Estudo

Fundamentos de Desenho: Como Estudar de Uma Forma Divertida?

Ah, os fundamentos… Só de escutar essa palavra algumas pessoas já têm pesadelos! A gente sabe o quanto é cansativo estudar essas teorias e que, apesar de sabermos a importância delas, as coisas nem sempre fluem muito bem.

A conversa dessa semana é justamente sobre isso. Neste caso, sobre como podemos estudar os fundamentos de desenho, que estão diretamente relacionados ao tipo de conteúdo que publicamos aqui, sem se tornar algo completamente massante.

Antes, o que são fundamentos?

Se você tem o costume de ler as nossas matérias, provavelmente já deve ter reparado que em alguns momentos nós mencionamos que “para fazer tal coisa é importante dominar conceitos e técnicas básicas de desenho”. Isso acontece porque em muitas áreas do nosso mercado saber desenhar é uma necessidade, quase como saber respirar.

Quando falamos sobre fundamentos, é extamente à isso que estamos nos referindo. Para ficar mais claro, gostamos de fazer um paralelo com a construção de uma casa. Assim como é necessário ter bases sólidas e bem estruturadas para que a casa seja bem construída, os desenhos precisam de uma certa sustentação para serem bem feitos.

Escute o episódio #020 do Sala 1604, nosso podcast, que fala sobre a importância dos fundamentos.

Além de funcionarem como base, os fundamentos são importantes por explicar e “ensinar” como os desenhos devem ser feitos, sem os relacionar à qualquer tipo de estilo. Ou seja, não importa se ele será feito por um tatuador, um arquiteto ou um quadrinista. O princípio de como o desenho deve ser feito será o mesmo.

Clique para ver as imagens inteiras.

Como estudar sem morrer de tédio?

Nós do Revonow, em conjunto com o professor Luis Kemmerich, separamos 5 dicas para tornar o estudo dos fundamentos, em especial os de desenhos, menos cansativo e desgastante. Dá uma olhada.

I. Aceite a frustração!

A primeira funciona mais como um conselho de amigo. Um dos motivos para coisas teóricas se tornarem meio chatas de se estudar é o fato de que você não consegue enxergar resultados imediatos. Em outras palavras, você não faz um desenho incrível com só um dia de estudo! Este é um processo lento que exige dedicação, e por este motivo, acaba sendo frustrante e cansativo. Sendo assim, aceitar que a frustração faz parte do processo de aprendizado é um grande passo para que os estudos se desenvolvam com mais facilidade.

II. Todas as vezes que você aprender um conceito novo, tente aplicá-lo com alguma intenção artistíca.

Quando você aprende algo novo e o insere dentro da sua realidade como artista, além de ajudar a colocar a teoria em prática, que é uma parte importante da rotina de estudos, você se motiva a estudar pois seus trabalhos começam a evoluir, lado a lado com o seu nível de conhecimento, de forma mais nítida.

Clique para ver as imagens inteiras.

III. Se você não está conseguindo se concentrar, faça uma pausa.

Um erro muito comum, não só entre artistas, é continuar insistindo em algo que você não quer fazer. Todo mundo sabe que se concentrar e estar disposto a aprender é uma das coisas mais importantes quando se está estudando e, por este motivo, se obrigar a assistir vídeo-aulas, ler livros ou ficar praticando é uma péssima escolha! Além de levar o seu rendimento para baixo, tudo o que você poderia aprender vai começar a se tornar um peso. Então, sempre que você estiver cansado e não estiver conseguindo fazer o que precisa,  faça uma pausa e depois volte com tudo.

IV. Estude em grupo.

Estudar com outras pessoas não fuciona com todo mundo mas é uma boa maneira de deixar as coisas mais leves e divertidas. Dentro de um grupo de estudos você pode trocar experiências, dicas, pode dar e receber  conselhos e ainda, conhecer referências diferentes das suas. Além, é claro, de estar perto dos amigos e poder se distrair quando as coisas nos estudos não estiverem fluindo muito bem.

Nós temos um episódio do Sala 1604, nosso podcast, que fala sobre rotina e estudos em grupo. Clique aqui para escutar.

V. Cerque-se de boas referências.

Estudar com referências é sempre uma boa opção! Quando você faz isso, sua percepção começa a ser treinada e mais desenvolvida, permitindo (no caso dos fundamentos de desenho) reconhecer como aquele trabalho foi feito. Quais são os conceitos, que você está estudando, que foram utilizados para compor aquele desenho? Sem contar que ter boas referências para basear as suas obras ajuda no processo de produção. Mas lembre-se: Estudar com referências não é o mesmo que copiar o trabalho de alguém ou comparar os seus trabalhos com o do outro. A questão é usar a referência como um combustível para o seu desenvolvimento pessoal.

Clique para ver as imagens inteiras.

Para estudar com profundidade os fundamentos de desenho, você pode se matricular no nosso curso (disponível de forma presencial e online) de Fundamentos de Desenho 1, com o professos Luis Kemmerich.

   ONLINE                    PRESENCIAL

18 anos, cabeça nas nuvens e viciada em marca-páginas,
Prazer.

Top