Profissão Entretenimento

Mary Camila Bortoncello

As mulheres estão conquistando cada vez mais espaço nas áreas tecnológicas, nas quais até hoje a presença masculina é predominante. Por que isso acontece? Como lidar com as diferenças e alcançar um equilíbrio?

Esta é a primeira de uma série de quatro entrevistas que a Revolution, uma escola onde a maioria dos professores e alunos são homens, vai trazer no mês da mulher para problematizar essa questão e incentivar meninas e mulheres a demarcarem seu espaço nessa área! #girlpower

Pra começar, nossa primeira convidada é a Mary Camila, organizadora do evento Women Techmaker Curitiba.

Oi, Mary! Conta pra gente: o que é o WTM? Como surgiu a ideia de criar um evento de tecnologia voltado para mulheres?

O WTM é uma iniciativa que visa atrair mais mulheres para área tecnológica sempre inspirando outras mulheres com exemplos de grandes profissionais da área. A comunidade de Curitiba é bem engajada na área tecnológica, e pensamos em tornar esse engajamento mais forte, principalmente com as mulheres que iam para os eventos, que já eram poucas.

Qual a sua área de atuação? Como conheceu essa área e o que te fez se interessar por ela?

Trabalho na área de desenvolvimento, sou programadora. Conheci esta área quando tinha aproximadamente uns 12 anos, desde então achei fantástica a interação do computador com as pessoas. Como sempre gostei da área para seguir carreira foi uma decisão fácil.

Sabemos que mulheres tem tanta capacidade quanto os homens e que, obviamente, elas também se interessam por essa área de tecnologia. Por que, então, são tão poucas mulheres que atuam no mercado de trabalho?

Devido a diminuição de mulheres nos cursos de tecnologia, isto influenciou diretamente no mercado de trabalho, mas a cada dia que passa estamos tentando conquistar nosso espaço com competência e determinação.

Quais são as dificuldades de atuar numa área predominantemente masculina? Você já sentiu que suas competências foram “testadas” por ser mulher?

As dificuldades existem, como por exemplos brincadeiras que às vezes ofendem pelo simples fato de ser mulher, e às vezes até a falta de credibilidade sem ao menos antes conhecer as competências da pessoa que está criticando. Sim, já duvidaram do meu potencial, porém sempre tentei ignorar e fazer um bom trabalho.

Em suas apresentações na WTM, quais são os feedbacks que vocês recebem?

Sempre estamos tentando melhorar, recebemos feedback da comunidade sempre pedindo para trazer palestrantes referências na área e tentar engajar a comunidade com eventos, hangouts e etc.

Em uma conversa de bar com os outros professores da escola estávamos nos perguntando: porque é tão difícil para os homens terem uma figura feminina como inspiração na carreira? Quais são as referências femininas que te servem de inspiração no seu dia a dia?

Minha opinião é que por valores culturais (influências da sociedade ou pessoais) é um pouco difícil para alguns homens aceitarem uma figura feminina como inspiração, claro não dá para generalizar, porém a maioria dos que eu conheço são assim. Eu particularmente gosto muita da história Ada Lovelace, pois é reconhecida internacionalmente como a primeira programadora da história.

Pra finalizar, repetimos pra você o questionamento que abriu essa entrevista: as mulheres estão conquistando cada vez mais espaço nas áreas tecnológicas, nas quais até hoje a presença masculina é predominante. Por que isso acontece? Como lidar com as diferenças e alcançar um equilíbrio?

Nos dias do hoje os cursos de tecnologia, por exemplo Sistemas de Informação, Engenharia de Computação e Ciência da Computação são estereotipados, ou seja, há aquela sensação de que só nerds e geeks fazem, o que não é verdade. Qualquer pessoa que se interesse pelo assunto gostará muitos dos cursos. Outro fator bem importante é o cultural, ou seja, a criança é ensinada de que existem coisas de menino e coisas de menina, o que também pode influenciar muito na formação da personalidade e pode determinar qual será a carreira profissional que ela quer seguir. As diferenças existem e para lidar com elas temos que parar de fazer brincadeiras com esse problema e tentar sempre atrair mais pessoas para conhecer as áreas tecnológicas.

• • •

Escola Revolution apoia e incentiva a entrada de mulheres em todos os espaços que até hoje são vistos como masculinos. A diversidade de pensamentos só faz engrandecer uma área que é intensamente movida a criatividade, como é a nossa. Para continuarem acompanhando as discussões em torno desse tema, recomendamos que vocês acessam essas páginas:

• Evento Women Techmakers no Facebook 
• Entrevista com Andrew Meltzoff
• Os desafios de ser mulher em Tech
• Representatividade das mulheres em cursos de computação 
• PrograMaria (todo um site voltada pra mulheres que se interessam pela área de programação)

Top