Dicas de Estudo

O Que Você Pode Fazer Com o After Effects?

Este texto é uma tradução/adaptação do artigo “What Can You Do With Adobe After Effects?” escrito por Caleb Ward para o site Rocketstock. Clique aqui para ler.

Existem poucos programas no mundo que são capazes de produzir obras incríveis de artes visuais como o Adobe After Effects faz. Contudo, se você é novo no After Effects, pode acabar ficando um pouco confuso em relação ao o que exatamente o software pode fazer.

Para deixar as coisas um pouco mais claras, nós montamos este artigo explicando as – principais – possibilidades criativas e técnicas do Adobe After Effects (AE).

Então, o que você pode fazer com este programa?

Através do Adobe After Effects você pode criar, compor e estilizar camadas de cenas 2D em espaços 3D. Na verdade, o software pode ter diferente funcionalidades, dependendo do que o usuário precisa. Por exemplo, um artista indie de VFX (Efeitos Visuais) pode usar o AE apenas para compor cenas renderizadas em 3D. Já um editor de vídeo, pode usar mais para design de título e um animador para criar personagens de desenho animado em 2D.

O motivo da dificuldade que as pessoas têm em definir o que o programa faz, é, simplesmente, o fato de que ele faz muitas coisas – e faz bem.

Mas, apesar do After Effects ser um software incrível, é importante ressaltar que ele não é ideal para editar toda a gravação de vídeo. Isso, graças ao fato de que ele não tem as mesmas capacidades de reprodução ou o mesmo layout de um programa de edição de vídeo. Quando se trata disso [da edição], o Adobe After Effects é usado, normalmente, para aplicar efeitos após a cena já estar mais ou menos editada. O nome faz sentido agora, não faz?

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Embora tenha inúmeras utilidades, o AE é, na verdade, muito simples no que diz respeito a sua estrutura. Assim como todos os programas de edição de vídeo, o programa da Adobe trabalha com um sistema de camadas. A melhor forma de pensar nisso é imaginar uma pilha de papéis. O papel que está em baixo não aparece por causa do papel que está sobre ele. Isso, claro, se você estiver trabalhando em uma composição 2D.

Se você definir suas camadas para o 3D, poderá trazê-las para a frente de outras camadas – se elas estiverem próximas a sua câmera no espaço 3D. Se isso ficou muito confuso, confira o exemplo abaixo! Conforme a camada se move em direção a câmera através do background, ela se torna vísivel. Quando ela vai para trás da camada, deixa de aparecer.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Para que a maioria das pessoas usam o Adobe After Effects?

  • A Biblioteca de Efeitos

O que separa o AE dos demais programas de edição é a sua vasta biblioteca de efeitos. Lá tem, literalmente, centenas de efeitos prontos disponíveis que podem ser combinados para desenvolver um número ilimitado de criações. Isso pode até parece bom de mais para ser verdade, mas no After Effects, se você pode sonhar, você pode fazer!

Vamos dar uma olhada em algumas categorias de efeitos incorporados ao software.

Efeitos de Simulação

No total, a biblioteca do AE é composta por 18 efeitos de simulação. Eles podem ser usados para criar qualquer coisa, desde chuva até cabelo, e são completamente customizáveis. Sem contar que, ao mesclar os efeitos de simulação com outros tipos de efeitos, a sua funcionalidade se eleva.

Veja abaixo um exemplo do efeito CC Snowfall, disponível no programa.

Notas do Autor Original: “Para criar este efeito, eu literalmente apenas arrastei e soltei. Nenhuma custumização foi necessária”.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.
Efeitos Estilizados

Já os efeitos estilizados são úteis para dar aos seus vídeos e camadas, certos estilos que seriam impossíveis de qualquer outro jeito. Esses efeitos de arrastar (drag-and-drop effects) podem ser manipulados facilmente para criar incríveis modelos e estilos. Os efeitos que mais se destacam nesta categoria são o CC Glass e o Posterize.

O exemplo abaixo mostra uma imagem do Shutterstock (banco de imagens online) com o efeito Find Edges aplicado.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.
Todas as Outras Categorias de Efeitos

Além das categorias mencionadas anteriormente, existem dezenas de outras divisões, cada uma com uma especialidade diferente. Por exemplo, há uma categoria inteira dedicada aos diferentes tipos de desfoque e outra, dedicada à correção de cor com efeitos que podem gerar a aparência desejada para a sua filmagem.

Além disso, o AE  tembém tem uma categoria de perspectiva, que inclui um efeito de 3D Camera Tracker, que faz com que o processo de tracking do seu vídeo seja mais fácil. Ele pode ser encontrado na pasta de efeitos de transição.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.
  • Templates

Os tamplates (ou modelos) do After Effects são uma das grandes razões que fazem os editores de vídeo usarem o programa. Você pode passar a sua carreira inteira desenvolvendo suas habilidades como motion designer. Entretanto, editores de vídeo podem não ter o tempo ou a experiência necessária para criar os projetos que necessitam, dentro de prazos curtos. Ao invés disso, motion designers do mundo todo configuram projetos no After Effects de um modo que os usuários possam, simplesmete, aplicá-los à suas filmagens.

O mercado online de tamplates do After Effects possui projetos easy-to-use (fáceis de usar), então, até o mais novo usuário do programa pode criar lindos designs para seus projetos de vídeo. O exemplo abaixo mostra as possibilidades criativas de um dos modelos disponíveis no AE.

  • Design de Título

Com recursos para design de título tão diversos quanto o photoshop, o After Effects é um programa fantástico para criar títulos para seus projetos de vídeo. A ferramenta de título do AE funciona de um jeito muito parecido ao de outros geradores de texto existentes. Isso inclui opções de parágrafo e controle de customização para coisas como leading and kerning.

Notas do Revocrew: O termo leading se refere ao espaço entre as linhas e o termo kerning, ao espaçamento entre os carácteres. 

Entretanto, o que realmente coloca os recursos de design de título do After Effecs lá em cima são os animadores de título, que permitem aos usuários animar automáticamente carácteres, palavras ou linhas (dependendo do que o seu projeto precisa).

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Todos os efeitos mencionados anteriormente também podem ser aplicados ao texto, ou seja, realmente não há limites para os tipos de título que você pode criar dentro do software.
Entretanto, deve-se lembrar que não há uma boa maneira de se criar títulos 3D com o AE. Algumas pessoas conseguem até produzir um “3D fake” utilizando uma técnica conhecida como “layer stacking” (ou empilhamento de camadas), e outras simplesmente usam o plugin Element 3D para criar texto tridimensionais – mesmo que ele não seja a melhor forma de criação.

  • Composição

Um software de composição é, simplesmente, um software que pode ser usado para reunir diversos recursos para criar uma cena finalizada. Por exemplo, uma cena única com VFX pode precisar de uma tela verde, um fundo, alguns elementos explosivos, poeira e fumaça. Tudo para compor uma única cena. Isso seria incrÍvelmente difícil de fazer dentro de um aplicativo de edição de vídeo tradicional e, portanto, um aplicativo especializado como o After Effects, é o melhor caminho.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Porém, a maioria dos editores usam as capacidades de composição do AE para projetos menos chamativos. Não é incomum usar o programa para fazer uma rápida substituição de tela verde fundo para demos ou, ainda, desfocar uma logo usando o efeito 3D Camera Tracker. 

Assim como no photoshop, você pode aplicar blending modes nas camadas para modificar a forma com que elas interagem com a cena/filmagem atrás dela. Isso é ótimo para modelos e designs em 3D, já que normalmente se faz uma renderização multi-pass com cada um dos elementos que serão utilizado na composição da imagem 3D final. Neste caso, você pode ter uma camada de sombra para cada parte que você deseja ver escura e uma camada de highlight para cada parte que você deseja ver iluminada.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Um blending mode é perfeito para colocar todos estes elementos juntos! Falando na prática, você pode usar os blending modes para adicionar elementos sobre suas filmagens. Um exemplo que você pode reconhecer são os feixes de luz. Usando a função “Add” ou “Screen” no modo mesclagem, os usuários podem compor, facilmente, feixes de luz sobre suas cenas.

  • Scripts

Diferentemente dos plugins, os scripts não destravam nada que o After Effects já não faça. Ele, simplesmente, automatiza um processo que normalmente levaria muito para ser feito à mão. Existem alguns scripts, por exemplo, capazes de criar formas animadas com apenas um clique, como é o caso do AE Sweets.

Veja uma demo rápida de “brazões” animados que podem ser criados usando o After Effects Script.

Se você for um veterano em Adobe After Effects, provavelmente não tem problemas criando essas formas animadas, mas, convenhamos que ter a habilidade de criá-las com apenas alguns cliques torna todo o precesso de design muito mais rápido. Alguns segundos aqui e ali podem adicionar horas ao final do projeto.

Existem muitos outros scripts que podem ser usados para as mais variadas tarefas, desde camadas de deslocamento até composições renderizadas.

Notas do Autor Original: “A coisa mais importante para se lembrar quando estiver trabalhando em uma tarefa repetitiva no after effects é: Olhe em volta… Você provavelmente encontrará um script que salvará seu tempo.”

Plugins Levam o After Effects Para Outro Nível

Além de todos os efeitos mencionados anteriormente, existem centenas de outros efeitos adicionais que podem ser instalados para tornar o AE mais funcional. Esses efeitos, chamados de plugins, são essencialmente programas em miniatura desenvolvidos por empresas menores, que podem ser instalados e usados dentro do software do After Effects.

Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Existem muitos plugins diferentes, mas, os mais populares disponíveis para o AE são o Element 3D, Trapcode Particular, Plexus e o Optical Flares. O Element 3D é, provavelmente, o plugin mais impressionante desenvolvido por uma empresa de fora, porque permite que os usuários importem, texturizem, coloquem cor, iluminação e até criem obejtos 3D dentro do After Effects. Ele não substitui completamente um programa de modelagem 3D, mas, se você precisar trabalhar eventualemente com objetos 3D, é uma boa forma de acelerar o processo.

Notas do Revocrew: Como já mencionamos em outras matérias e até mesmo aqui, o Adobe After Effects pode ser utilizado para a produção de Motion Graphics. Não só para fazer parte de um vídeo (como vinhetas e legendas), mas também, como estilo próprio de animação. 

Tem alguma coisa que o After Effects não pode fazer?

A questão sobre o que não dá para fazer no After Effects é muito complicada; apesar de ser possível fazer a maioria das coisas utilizando o programa, ele não é, necessariamente, a ferramenta ideal para produzir todo motion graphic ou projeto de efeito visual.

Separamos duas coisas que você não pode fazer (ou pelo menos, não direito) com o software da Adobe:

  • Modelagem 3D e Animação
Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Usando o Element 3D, você pode até importar objetos 3D para dentro do AE, mas, existem muitas limitações quando se trata de animá-los. Você nunca será capaz de substituir totalmente um software tradicional de modelagem ou animação 3D pelo After Effects.

  • Edição de Vídeo (completa)
Crédito: Site Rocketstock, por Shutterstock.

Como já foi dito anteriormente, o AE não é um programa específico para edição de áudio e vídeo. É óbvio que você é capaz de terminar um trabalho com ele se for necessário, mas, ele não é feito para isso. O After Effects funciona melhor quando ligado a um software de edição de vídeo.

Se você quiser aprender a criar motion graphics com o After Effects, faça nosso curso de Motion com o professor Bruno Saad. Você pode saber mais sobre o curso clicando aqui. E se você não sabe o que são Motions Graphics, você pode ler a nossa matéria especial sobre o assunto (:

18 anos, cabeça nas nuvens e viciada em marca-páginas,
Prazer.

Top