Matérias Especiais

Saiba Tudo o que Aconteceu no Topia Connect! – 30/04

Já estamos no segundo dia to Topia Connect! O evento ainda nem começou direito e já está explodindo as cabeças de todos nós com tantos artistas e palestras INCRÍVEIS! O evento está acontecendo online, conforme as recomendações da Organização Mundial da Saúde e Ministério da Saúde, mas mesmo assim está reunindo centenas de artistas, cada um no conforto da sua própria casa!

Aqui no site vocês ficam sabendo um pouco de cada uma das palestras que rolaram hoje (30) e que ainda vão acontecer nos próximos dias!

Quer ter um gostinho do que está acontecendo? Confira aqui!

DRAW OVER – Paulo Ignez, Guilherme Freitas e Doug Lira

É correção de trabalhos que você quer, @? Foi pra isso que o grande Paulo Ignez estava abrindo o dia de hoje no Topia Connect! Alguns dos participantes do evento mandaram suas personagens para nós e ele deu algumas dicas gerais de design de personagens e os trabalhos que ele escolheu foram selecionados a dedo para podermos falar durante o bate papo de várias questões dessa área!

Um desses conceitos é o gesture, ou desenho gestual, que é o que dá movimento às personagens. O gesto que a personagem faz conta a história dela? Não tem como contar um roteiro inteiro com uma única pose que se desenha, mas temos que procurar enfatizar os detalhes da personalidade e história daquela pessoinha que criamos.É importante que os elementos que você coloque no design de personagens sejam condizentes com o seu objetivo com final para aquele projeto.

Arte do Paulo Ignez

Não podemos esquecer de explorar! Não ter medo de fazer várias opções e não acertar de primeira, você tem muitas coisas para pensar quando cria uma personagem ou uma ilustração, mas não precisa pensar em tudo ao mesmo tempo! Outra coisa também é o excesso de preocupação com o andamento do trabalho, que pode ser mais um sinal de insegurança do que de profissionalismo, mais uma vez, não tem nenhum problema em fazer uma alternativa que não tenha ficado tão boa! É desenho digital! Dá um Ctrl+Z e tá tudo bem =)

O desenho gestual é uma das principais questões entre os artistas e também um dos primeiros passos em qualquer trabalho que envolva seres vivos (humanos, animais e até plantas!), por isso falamos tanto e sempre voltamos a esse assunto.

Arte do Paulo Ignez

As linhas podem ser outra questão. Depois de encontrar o gestual que você mais gostou, as linhas, o famoso lineart, é esse o momento de você solucionar algumas questões que só o gestual pode não dar conta. Organizar bem as linhas do lineart, para que elas não fiquem competindo por atenção, não se contradigam e enfatizar o ritmo que você definiu no desenho gestual. A hora que colocar as linhas é a hora de realmente organizar as formas do seu desenho.

ABRIR UMA EMPRESA, FAZER ORÇAMENTO E TIRAR O PIJAMA: COMO VIVER SENDO FREELANCER? – Bianca Nazari, MadBoogie Creations e Victor Hugo Queiroz

Qual a parte boa de ser freelancer? Flexibilidade de horários

Para alguns, a variação de projetos e trabalhos, não saber exatamente o que vai acontecer no próximo mês, no próximo ano, pode até assustar algumas pessoas, mas para os nossos freelancers da vez isso é algo até motivador! 

É claro que, principalmente no início, é um desafio grande sair de um emprego formal para trabalhar por si só, como cobrar, onde encontrar os primeiros clientes, entre tantas outras questões, e isso é normal! Todos os nossos artistas aqui do bate papo contaram como os primeiros trabalhos foram meio ruins, como tinham dificuldade em ir atrás deles, passaram uns perrengues…

É muito comum termos dificuldades em lidar com a parte mais burocrática e financeira dos jobs, por isso é importante pedir ajuda, se necessário, a um familiar, ou alguém de confiança.

gif pela Mafalda Comunica - @mafaldacomunica

Mas uma das questões mais tenebrosas de tudo isso é: QUANTO COBRAR PELA SUA ARTE?

Sinto dizer, mas nenhum artista profissional vai chegar com uma resposta pronta para isso, até para eles, os preços cobrados são relativos. Vai ser uma campanha internacional? Ou para a padaria da esquina? Qual o prazo? É urgente?

Durante o bate-papo, o Gus, Amanda, Victor Hugo e Bianca não dão os valores, mas dão uma boa noção do que você precisa levar em consideração para chegar nos seus próprios valores e nos seus próprios prazos =)

Outra questão muito grande para quem já começou a pegar os primeiro jobs é falar NÃO quando necessário! Lidar com os clientes requer um pouco de paciência, já que muitas vezes essas pessoas não entendem bem como funciona para se fazer uma ilustração ou modelo 3D e, por isso, o diálogo com eles às vezes pode ser bastante importante. Não tenha medo do seu cliente! A maioria deles está disposto a negociar ou renegociar se necessário e isso tudo pode ser resolvido. 

MAS… todos eles já encontraram, e nós muito provavelmente vamos encontrar em algum momento, aqueles clientes que não respeitam nossos preços e nossos prazos. Em uma dessas, o conselho deles: ESSE CARA NÃO É CLIENTE PARA VOCÊ!

DESIGN DE PERSONAGENS – Eduardo Vieira, Guilherme Freitas, Paulo Ignez e Rayner Alencar

Como adequar e balancear o trabalho profissional com o trabalho autoral dentro do character design? Foi para falar sobre isso que Eduardo Vieira, Paulo Ignez, Rayner Alencar e nosso host, Guilherme Freitas, vieram mais mais esse bate papo no Topia

Os próprios artistas têm que ter pensamentos diferentes quando estamos fazendo trabalhos autorais ou freelas, e quando estamos trabalhando em um estúdio ou alguma outra empresa, principalmente em projetos com alcances maiores (animações, campanhas, ou projetos de nível nacional ou internacional). Saber reconhecer até onde vai uma opinião mais técnica e onde entramos num lado mais pessoal para analisar esses trabalhos é algo que artistas que trabalham com esses dois mundos precisam aprender a lidar em suas carreiras.

Por outro lado, hoje em dia, o mercado tem uma certa abertura para um estilo e pessoalidade em trabalhos para o mercado de entretenimento, claro que dentro dos limites, mas isso já é uma realidade e deixa um certo espaço para que esses artistas consigam fazer ainda mais seus nomes no mercado.

Arte do Eduardo Vieira

Muitas pessoas que ainda estão no começo da jornada artística tem muitas dúvidas sobre como os estilos pessoais se encaixam no mercado de trabalho e, para essa live, Rayner traz um olhar mais voltado para o mercado, Eduardo foca mais em seu estilo autoral, enquanto Paulo se considera bem balanceado entre o mercado e o pessoal nesse bate papo simplesmente imperdível para quem quer entrar nessa área!

No vai e vem das conversas, nossos queridos convidados também deram algumas dicas de livros bem legais que servem como referência para eles e que, pode ajudar você também!

Livros indicados pelo Paulo Ignez:

  • Sketchbook do Nico Marlet
  • Tony Fucilli (character designer de Os Incríveis e UP)
  • Joe Mosher (character designer de A Nova Onda do Imperador)

COMO PRODUZIR ARTES EM CONJUNTO? Gabriela Antonina Rosa e MAR Studio (Alberto Rocha, Caroline Gariba, Cesar Rosalino, Eric Kenji, Marco Alvares, Mike Azevedo, Rafael Zanchetin e Rodrigo Camilo.

A MAR Studio é um estúdio de arte voltado para jogos digitais, já que as empresas de games geralmente não tem condições de manter uma equipe de artistas permanente e acabam contratando freelancers para cada projeto 

Mas como lidar com trabalhar fazendo artes em grupo? Como já foi a primeira pergunta enviada, esse coletivo de artistas permite criar uma identidade específica do estúdio? como fica a questão da individualidade, personalidade e estilo artístico pessoal nos trabalhos de um estúdio?

Na MAR Studio, hoje composto por 10 pessoas, todas as peças feitas passam por vários dos integrantes, se não todos, então para eles, sim, isso acaba criando uma identidade visual mais comum do estúdio.

É muito importante entre todos os que estão trabalhando em coletivos e estúdios artísticos que você não está lá para fazer seu trabalho autoral e estar ciente desde o começo que o seu processo vai se cruzar com o processo dos outros e, para eles, isso é ótimo também! Você pode fazer artes e projetos conjuntos que talvez você nunca tenha imaginado que poderia fazer! 

Arte da MAR Studio

Como começar um estúdio como a MAR? Confiança na sua equipe é a base absoluta no sucesso da MAR, e muito provavelmente de qualquer outro estúdio de arte e ilustração. Mas, além disso, também ter alguém na equipe que entenda como cuidar de questões mais burocráticas do funcionamento de uma empresa e o financeiro, principalmente no caso da MAR, que trabalha quase que exclusivamente e com contratos e pagamentos internacionais.

COMO SE REINVENTAR EM ARCHVIZ – Guilherme Freitas e Thi Lima

Thi Lima vai mostrar um pouco de como ele passou do design gráfico para a modelagem 3D no Archviz (visualização arquitetônica). Durante a graduação em design gráfico, mas por fora do curso, ele teve seu primeiro contato com o 3D, no Blender, e a partir disso ele fez projetos básicos, como o seu tcc, até que conseguiu pegar um primeiro projeto como freelancer e era justamente na área de arquitetura. Ele trabalhou fazendo dezenas de projetos para ambientes de eventos por alguns anos, até que resolveu começar a fazer trabalhos mais autorais.

Mas como a arquitetura e a modelagem 3D tem a ver? TUDO! Grande parte dos projetos de arquitetura e design de interiores passam por projetos em 3D para ter uma maior detalhismo antes da produção de um móvel, montagem de um ambiente ou até de uma construção.

Mas mais um questionamento que Thi traz para nós é: já que é algo tão comum, como se destacar nisso? Ele mesmo, com certeza, é um desses destaques.

Para ele, esse diferencial está na sua formação em design, nos conceitos da Gestalt, teoria da cor, entre outros conceitos, que ele aplica em seus trabalhos arquitetônicos. Outro fator diferencial é o storytelling de cada imagem que ele produz, em que ele tenta contar uma história aplicando nos elementos das cenas a teoria da cor, composição, gestalt, fotografia, definindo o mood do ambiente sem necessariamente ter que colocar uma figura humana ali para deixar isso tão óbvio.

Para isso, ele também tenta buscar referências que não são de fotos de arquiteturas, nem de archviz, mas sim em diversos outros lugares, referências fora do padrão do trabalho que você está fazendo, mas que, de alguma forma, pode ser aplicado nos seus trabalhos.

Como exemplos de tudo isso e outras coisas a mais que ele falou durante sua palestra, ele também mostrou um pouco dos processos de alguns dos seus trabalhos autorais de mais sucesso, seu projeto de Pinups, o curta metragem Under e o projeto Butterfly, que você pode conferir o principal conceito na imagem acima!

ARTES NA INDÚSTRIA DE GAMES MOBILE – Doug Lira e Luiz Celestino

Uma das maiores inspirações dos artistas que trabalham com entretenimento, sejam eles do 2D ou 3D, com certeza é trabalhar na produção de jogos digitais. Mas, o que não conseguimos enxergar as vezes é que, mesmo dentro dos games, os jogos para dispositivos mobile exigem outras características e até algumas mudanças nos processos para que eles ganhem vida. É para isso que trouxemos o Luis Celestino aqui! 

Ele trabalha justamente em o mercado de games mobile e levanta alguns questionamentos muito importantes sobre o mercado de games no geral e esse nicho mais específico, para aqueles que estão procurando se inserir neles: “Qual é o tipo de estúdio que você tá buscando? Quais as principais plataformas que eles devem estar? Busque quem tá trabalhando nesse estúdio! Procure no Linkedin, no Behance, no Artstation.”

Arte de um game da Wildlife Studios

Ele e nosso querido Doug Lira conversam bastante também sobre portfólios e aplicações es estúdios. Acontece muito de os artistas aplicarem o portfólio para a empresa e algumas semanas depois aplicar de novo. A Wild Life Studios, por exemplo faz um tracking desses portfólios que eles recebem e acompanham quando você tá enviando portfólio. Insistir com o mesmo portfólio não vai te ajudar a ser contratado, o que vai te fazer ser contratado é insistir nos estudos e melhorar seu trabalho. Eles recebem 50 portfólios por semana, o tempo que eles separam para avaliar portfólio é curto e eles vão avaliar super rápido. Faça um bom portfólio que chame atenção como um todo.

É importante lembrar que o trabalho de direção de arte é bastante exigente e eles não tem muito tempo para analisar todos os envios, às vezes seu portfólio tá bom mas não tinha vaga ou por conta da demanda de trabalho o DA esqueceu. Mande de novo o portfólio depois de alguns meses mas tenha peças novas antes de enviar o portfólio novamente. E coloque o que você se orgulha.

Uma boa recomendação que saiu dessa conversa também foi a playlist de videos “So You Wanna Make Games??”, da Riot Games, que você confere o primeiro aqui:

Por fim, Lembre-se que você é um profissional do mercado, então ENTENDA SOBRE AQUELE MERCADO para saber como você vai se posicionar lá =)

CRIANDO UM PERSONAGEM PARA IMPRESSÃO 3D – Alvaro Ribeiro, Doug Lira e Igor Catto

Se você é da galera do 3D, muito provavelmente já deve ter se perguntado “como será que meu modelo ficaria se existisse de verdade?!”. E você muito provavelmente também já deve saber que isso é, sim, possível graças à impressão 3D!

Hojes estiveram conosco duas lendas brasileiras da área, Alvaro Ribeiro, fazendo um modelo ao vivo para nós, com comentários do Igor Catto e do nosso host, Doug Lira! Alvaro é um dos principais nomes da modelagem 3D para impressão do brasil e do mundo, e se você tem interesse no assunto, fica aí a nossa recomendação de conhecer e acompanhar o trabalho dele.

Arte do Alvaro Ribeiro

O que talvez seja um pouco nebuloso para quem não tem experiência com impressão 3D é que, para isso, os modelos precisam ser compatíveis com a realidade e estão limitados às funções da impressora. Infelizmente, ainda não é possível imprimir todo e qualquer tipo de modelo que você consegue fazer com as centenas de ferramentas dos softwares.

Hoje em dia, já podemos usar isso em diversos colecionáveis e action figures e elas até podem ser feitas e impressas em uma peça única, mas um recurso muito útil que a modelagem 3D permite é fazer ela toda segmentada e com encaixes! Assim, seu modelo pode ter uma complexidade maior e mais detalhado.

INTERNET NÃO É TERRA DE NINGUÉM: COMO PROTEGER OS DIREITOS AUTORAIS DA SUA ARTE – Bianca Nazari, Paula Mendes Campos e Victor Kahn

Usaram minha arte sem permissão! Estão me copiando e ganhando dinheiro com isso!!! Talvez o plágio e os direitos autorais sejam as questões mais chatas e estressantes que nós, artistas, temos que lidar em algum momento. Mas, mesmo assim, não sabemos o que fazer quando realmente nos deparamos com essas situações.

Paula Mendes é formada em direito e fundadora da Pinc, um escritório de advocacia voltado à propriedade intelectual. Nas redes sociais da empresa, ela também faz um trabalho incrível divulgando informações básicas sobre propriedade intelectual para artistas, para que todos fiquem minimamente informados sobre os seus próprios direitos.

Foi essa mulher incrível que veio conversar um pouco com a gente hoje sobre esse assunto tão importante e tão nebuloso para nós, artistas.

Antes de qualquer coisa, ela esclareceu alguns conceitos mais jurídicos que muitos de nós não temos familiaridade, então vamos começar por alguns deles também:

Registro de marca – esse registro é feito no INPI e corresponde a nomes e logos de marcas e empresas – artistas precisam registrar marca! Em processos de violação de propriedade intelectual, o registro de marca, mesmo que ela seja seu próprio nome, pode facilitar muito durante possíveis processos e protege legalmente seu trabalho. Quando você faz esse registro, o judiciário considera que vc faz isso seu trabalho e facilita todo e qualquer processo ou contrato profissional, além de prevenir que seu nome seja usado indevidamente por outras pessoas. Para ela, esse é absolutamente o primeiro passo para quem quer proteger a sua propriedade intelectual!

Esses registro de marca/nome NÃO É O MESMO que o CNPJ! A maior parte dos artistas que já trabalham tem um CNPJ, mas isso não protege seu nome e nem garante o domínio da marca.

Direito autoral – as declarações de direitos autorais podem ser feitas na Biblioteca Nacional, Escola de Música da UFRJ e Escola de Belas Artes, mas em casos em que não haja dados nesses órgãos, também podem ser usados softwares privados, ou outros tipos de atos declaratórios que comprovem sua autoria. Os direitos autorais valem sobre livros, textos, poesias, esculturas, músicas, ilustração, tipografia, fotografia, enfim, tudo o que você consegue criar e vira algo palpável/visível.

Postagem no Instagram da Pinc - @pinc_

Direito patrimonial – é outra parte do direito autoral e é aqui que a maior parte da nossa discussão fica. O direito patrimonial é relativo a utilização, exploração, licenciamento ou cessão de trabalhos. Esse direito pode ser negociado com contratos, que têm que determinar o tempo de utilização, com qual finalidade, onde aquilo vai aparecer, em quantos produtos? É importante FAZER UM CONTRATO com todo e qualquer tipo de empresa.

Postagem no Instagram da Pinc - @pinc_

Como a Paula coloca “Plágio é crime? SIM! E pode dar até cadeia. Quando eu falo isso a galera até se apavora, mas é verdade.”

Uma grande questão acerca do plágio é: qual a diferença entre plágio e inspiração? Não tem como definir exatamente uma regra geral para classificar os dois, então os advogados têm que analisar o caso a caso de cada processo.

Nada se cria absolutamente do zero, nós artistas sempre falamos isso, estamos sempre falando da importância de conhecer o trabalho dos outros e do uso de referências! Nesses tipos de processo, o que acontece é que um artista vai ter que comprovar que não copiou o outro através do seu próprio processo de criação. Por isso salve seu processo de criação!

E como a Bianca coloca também “A internet é grande mais não é tão grande, não! O artista sempre tem um conhecido, um conhecido do conhecido, que vai descobrir!”. E a gente sempre acaba descobrindo mesmo.

Postagem no Instagram da Pinc - @pinc_

No caso dos direitos autorais, vale a pena terceirizar o serviço para ter uma segurança maior. E isso é para todos, não interessa o alcance ou o número de seguidores que você tem.

E isso é apenas uma resumo de tudo o que aconteceu nessa palestra tão essencial! Para saber mais você pode assistir a palestra completa (que vai ser disponibilizada nos próximos dias para quem está participando do Topia Connect) ou acessar as redes sociais da Pinc =)

O Topia Connect é organizado pela equipe da Escola Revolution e acontece entre os dias 29/04 e 03/05.

Top